Sejam bem-vindos ao Caminho das Letras

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Material de estudo: Funções da Linguagem

Material de estudo para imprimir - 1º anos B e C.


Funções da Linguagem

 

            A linguagem tem várias funções ou finalidades, conforme as intenções ou pontos de vista do emissor.

            Leia com atenção os textos procurando perceber os objetivos do emissor.

 

1)      Função referencial, cognitiva ou denotativa
 

 
“Bancos terão novas regras para acesso de deficientes”. O Popular, 16 out. 2008.

 

Exemplos: textos de jornais, revistas, livros didáticos, enciclopédias, etc.
       Os textos acima predomina a função referencial da linguagem, em que o emissor procura transmitir a realidade de uma maneira clara, sem dupla interpretação. Trata-se de uma linguagem objetiva, centrada no conteúdo transmitido.
 
2) Função emotiva ou expressiva 
 
 
SAMBA EM PRELÚDIO
Eu sem você                         Sou chama sem luz
Não tenho porquê                 Jardim sem luar
Porque sem você                  Luar sem amor
Não sei nem chorar              Amor sem se dar
 
                                                                  Vinícius de Moraes
 
Exemplos: poemas, narrativas de teor dramáticoou romântico, letra de  música, etc.                                                
 
        No poema acima, temos a linguagem com função emotiva. Na linguagem emotiva o emissor procurar expressar seu mundo emocional: estado de espírito, sentimentos, opiniões. É uma linguagem predominantemente subjetiva em que o emissor usa com frequência verbos e pronomes na 1ª pessoa e geralmente recorre aos recursos expressivos do ponto de exclamação e das interjeições ou da própria falta de pontuação.
 
3)    Função apelativa ou conotativa   


Exemplos: anúncio publicitário, propagandas em rádios, TV, revistas, jornais, discurso políticos, etc.


Adeus aos livros pesados. Olá, aprendizado leve! A Englishtown tem mais de 1500 horas de lições com vídeos e atividades. Aperfeiçoar sua leitura e sua escrita nunca foi tão interativo - nem tão divertido!

 

       
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
No anúncio acima, a linguagem utilizada emprega a função apelativa, porque procura influenciar o leitor por meio de apelos, Essa linguagem recorre ao imperativo, com a intenção de persuadir, convencer, aconselhar, sugerir, pedir, enfim, influenciar o comportamento de quem recebe a mensagem.


     
4)      Função Metalinguística

Observe a definição de duas palavras de origem tupi: 

Curitiba: o nome da capital do Paraná vem de curi (pinheiro) e tyba  (muito, grande quantidade). Curitiba. Portanto, significa originariamente “lugar onde há muitos pinheiros”.  
             
  Itaúna: é o nome de uma localidade do Rio de Janeiro. Itaúna se origina de ita (pedra) e uma (preta). Itaúna, portanto, significa originariamente “pedra preta”.
 

         A função metalinguística usa o próprio código para defini-lo ou explica-lo. No caso, o código são as palavras Curitiba e Itaúna.

Exemplos: dicionários, gramáticas, aulas de línguas.

 

5)      Função Fática

 

     O objetivo dessa função é estabelecer uma relação com o emissor, um contato para verificar se a mensagem está sendo transmitida ou para dilatar a conversa.
Quando estamos em um diálogo, por exemplo, e dizemos ao nosso receptor “Está entendendo?”, estamos utilizando este tipo de função ou quando atendemos o celular e dizemos “Oi” ou “Alô”.

   Outros exemplos: “Muito prazer”, “Como vai?”, “Oi, tudo bem?”.

 

6)      Função poética

 

    Na função poética se colocam em evidência a mensagem e o modo como                    apresentada. O escritor procura despertar a atenção do leitor para a maneira como está sendo transmitida a mensagem, por meio de arranjos, escolha vocabular, rimas, ritmo, metáforas, aliterações, recursos visuais, disposição do texto na página, etc.

A função poética pode ocorrer tanto em poemas como em textos em prosa.

 

A Rita levou meu sorriso                                        A Rita matou nosso amor

No sorriso dela                                                       de vingança, nem herança deixou.

Meu assunto                                                           Não levou um tostão, porque não tinha não,

Levou junto com ela                                              mas causou perdas e danos.

E o que me é de direito                                         Levou os meus planos,

Arrancou-me do peito                                           meus pobres enganos,

E tem mais                                                             os meus vinte anos,

Levou seu retrato, seu trapo, seu prato             o meu coração.

Que papel!                                                             E além de tudo

Uma imagem de são Francisco                            me deixou mudo

E um bom disco de Noel                                        um violão.                   (Chico Buarque)

 




 
 


Nenhum comentário:

Postar um comentário